domingo, 15 de fevereiro de 2015

"De longe" no Manufatura

Quem olhasse de longe não entenderia.
Ela estava agachada sobre a mesa do restaurante. Segurava uma faca com a mão esquerda e encostava na ponta o nariz. Na direita estava um garfo com as pontas tocando seu queixo.
Definitivamente, quem olhasse de longe não entenderia.

O texto integral tá lá no ManufaturaPara continuar lendo no Fazendo um Drama, clique aqui

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Última chamada para a leitura dramática de "Vende-se uma geladeira azul"




A leitura do meu texto "Vende-se uma geladeira azul" é nessa segunda-feira, às 19hs, no Teatro Sesi Centro (Avenida Graça Aranha, 1 - Metrô Cinelândia). O evento é gratuito e as senhas começam a ser distribuídas às 18hs. É o último dia de leituras do Núcleo de Dramaturgia do SESI Cultural Rio.

Para saber mais sobre o evento e o texto, clique aqui.

Vai lá!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Convite para leitura dramática: "Vende-se uma geladeira azul" no Teatro SESI Centro (9/2)




Em 2014, participei da primeira turma do Núcleo de Dramaturgia do SESI Cultural. Mais de uma (talvez duas, não sei exatamente) centena(s) de inscrições, 25 selecionados num primeiro corte. Depois, mais um corte e oito autores/textos selecionados. Por fim, sete textos produzidos ao longo do ano passado nas oficinas do SESI chegarão ao palco em forma de uma leitura dramatizada.

O meu projeto "Vende-se uma geladeira azul" passou por todas essas etapas e ganhará o palco do Teatro SESI Centro (Avenida Graça Aranha, 1) no dia 9/2 (segunda-feira), às 19hs. O evento é gratuito, com retirada de senhas a partir das 18hs. É bem perto do metrô Cinelândia. Não recomendo que vá de carro, porque o trânsito no centro não anda dos melhores e não quero que me odeiem.

Na história, três irmãos retornam a casa em que cresceram para discutir a herança que receberam da avó, mas descobrem que se trata de uma geladeira azul usada. Foi produzido sob a orientação do casal multi-talentoso Carla Faour e Henrique Tavares e, uma vez concluído, dirigido pelo Pedro Nercessian. Em cena, estarão defendendo o texto a atriz Adassa Martins e os atores Leonardo Hinkel e Bernardo Marinho. Se quiser saber mais sobre o Núcleo ou sobre as leituras, clique aqui.

Gostaria muito da presença de vocês lá. Entendo que o trabalho, o trânsito e a cidade possam impedir algumas presenças, mas não custa fazer um drama e insistir no convite. Em estreias, e isso não deixa de ser uma estreia, é sempre bom ver rostos queridos na plateia.

Qualquer coisa, dúvidas, mensagens de apoio, desculpas esfarrapadas, só falar.

Até lá!