terça-feira, 26 de novembro de 2013

BLOGS DO ALÉM: Richard Wagner



A minha opinião você já sabe. Não tem nada a ver julgar uma obra examinando a vida do artista. Claro que certos dados bibliográficos nos despertam simpatia e nos aproximam de alguns. Eu, por exemplo, nunca havia lido nada do Günter Grass, até ele se envolver numa polêmica sobre o Estado de Israel. Aliás, apesar de notório antissemita, não me importo que os judeus consumam a minha música. Sou como o Michael Jackson vendendo discos para adultos. 



O texto é meu e do Vitor Knijnik e está disponível em: http://blogsdoalem.com.br/RichardWagner/.

domingo, 24 de novembro de 2013

Blog do Wagner





"Esse debate está permanentemente em pauta. Para uns, pouco importa o que artista faz fora dos limites de sua obra, a única coisa a ser julgada é a sua produção. Para outros, artista e obra são coisas indissociáveis, a vida é apenas mais um dos suportes de sua expressão. Nunca falta uma faceta obscura de um artista pra ser revelada. Sem contar aqueles que, vira e mexe, decepcionam o seu público com declarações controversas ou comportamento diverso daquilo que a sua imagem pública fazia intuir. Sempre haverá um cigarrinho suspeito, uma traição publicada ou um post cretino nas redes sociais colocando em xeque seus valores."


O texto é meu e do Vitor Knijnik para o Blogs do Além. A versão completa está aqui.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

"O quarto de Bianca": crítica no Blah Cultural






Crítica de teatro: "O quarto de Bianca"
por Anna Cecília

blahculturalOQuartodeBianca2


Sábado à noite. Todas as camas estavam lotadas durante a encenação de “O Quarto de Bianca”, no Art Hostel Rio, no Catete. Sim, camas! Lá o público foi convidado a entrar em um dos quartos coletivos do albergue e se alojar onde quisesse. Do alto dos beliches ou nas camas de baixo, sentados ou deitados, da forma mais confortável possível as pessoas finalmente conheceram a jovem.


Não tardou para a garota de quase 30 anos entrar no aposento. Com seu estilo vestido claro e olhar expressivo, a personagem, com seu estilo bonequinha e jeito efusivo, chegou de mala na mão e muitas lembranças para compartilhar. Mas, não foi só ela quem teve seu momento nostálgico não. Bianca colocou todos os presentes para relembrar o gosto da infância. No quarto, era como se todos fôssemos velhos conhecidos de Bianca. Isso porque a personagem abriu seu coração para o público e adivinha… Foi uma montanha-russa de emoções!

Com o texto profundo, introspectivo e dramático, a atriz Renata Egger conseguiu mostrar seu grande talento dando o tom certo que Bianca merecia e ainda criando a imagem da mãe da personagem em nossos imaginários. O clima da encenação foi de bate-papo informal e houve espaço até para dar umas risadinhas. Em alguns momentos parecia até que estávamos pegando carona com os pensamentos acelerados da personagem (por conta disso logo no início pode parecer um pouco confuso, mas não demora para  fluir legal o espetáculo). De forma descontraída e não linear, mas ao mesmo tempo com profundidade e sempre na busca pela interação, o monólogo apresenta temas pertinentes à faixa etária de Bianca. Porém, sempre fazendo um paralelo com a extrema importância da figura materna na formação psicológica da personagem. (Não vou contar mais se não perde a graça…)

De onde veio e para onde vai Bianca ninguém sabe. Aliás, não se sabe nem se os relatos dela são verdadeiros ou não passam de delírios de uma jovem com problemas emocionais, Mas, na vida real quando se tem contato com alguém desconhecido, pela primeira vez, também não é assim… Não temos certeza de nada do que é dito e só nos resta acreditar. A única coisa que se pode afirmar é que os relatos carregados de dramaticidade de Bianca eram a verdade dela naquele momento…


sábado, 16 de novembro de 2013

"O quarto de Bianca" no FIT




"O quarto de Bianca" no Festival Nacional Ipitanga de Teatro, em Lauro de Freitas (Bahia). A apresentação é às 16hs, na sala 2 do Cine Teatro de Lauro de Freitas. O festival é uma realização da Sociedade Cultural Távola e busca valorizar, estimular e difundir a produção de espetáculos teatrais, promovendo aos grupos de teatro a disseminação da expressão e do potencial da arte cênica por meio do intercâmbio e reconhecendo no teatro uma possibilidade de transformação social.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

"A bailarina ou Inventário dos guardados na caixinha de música" no I Fesquete Noroeste



É hoje a apresentação do esquete "A bailarina ou Inventário dos guardados na caixinha de música" no I Festival de Esquetes do Noroeste Fluminense. As apresentações acontecem no Teatro de Bolso Jorge Coutinho, em Itaperuna, a partir das 20hs. Para saber mais sobre o festival, clique aqui.


A bailarina ou Inventário dos guardados na caixinha de música
Uma realização da Interferência Teatral
Escrito e dirigido por Rafael Cal
Com Jéssica Pereira

ÚLTIMA APRESENTAÇÃO >>> "O quarto de Bianca" no Teatro Ziembinski





O quarto de Bianca
Realização da Interferência Teatral.
Escrito e dirigido por Rafael Cal.
Com Renata Egger.


Serviço

Teatro Ziembinski (Na Tijuca, em frente ao metrô São Francisco Xavier)
6, 7, 13 e 14 (quartas e quintas)
Às 20hs
R$ 10

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

"A bailarina ou Inventário dos guardados na caixinha de música" no 2º FEESPE



Hoje tem apresentação do esquete "A bailarina ou Inventário dos guardados na caixinha de música" no 2º Festival de Esquetes de Petrópolis. As apresentações acontecem no Teatro Dom Pedro, em Petrópolis, a partir das 20hs. Para saber mais sobre o festival, clique aqui.


A bailarina ou Inventário dos guardados na caixinha de música
Uma realização da Interferência Teatral
Escrito e dirigido por Rafael Cal
Com Jéssica Pereira

ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES >>> "O quarto de Bianca" no Teatro Ziembinski




O quarto de Bianca
Realização da Interferência Teatral.
Escrito e dirigido por Rafael Cal.
Com Renata Egger.


Serviço

Teatro Ziembinski (Na Tijuca, em frente ao metrô São Francisco Xavier)
13 e 14 (quarta e quinta)
Às 20hs
R$ 10

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Sobre "O quarto de Bianca"



Sobre O QUARTO DE BIANCA,

Na semana que passou, a Anna Cecília, do Blah Culturalindicou a peça.

O Rodrigo Gallo, que foi assistir lá no Art Hostel Rio, escreveu no Bauhaus Cultural sobre o espetáculo.

Teve a crítica feita pelo Daniel Schenker, na quinta-feira.

Houve notas no Guia da Semana e no site da Manchete também.



domingo, 10 de novembro de 2013

Blog do Casanova


"Na qualidade de um dos libertinos mais famosos de todos os tempos, é óbvio que sou um entusiasta do Tinder. Se você é casado ou está namorando sério, talvez não saiba o que é o Tinder. Quer um conselho? Se as coisas vão bem com seu parceiro ou com sua parceira, nem se informe a respeito. Largue este post por aqui e volte para a monotonia harmônica de sua relação, porque eu serei obrigado a explicar."

Para conferir o texto integral, clique aqui.

sábado, 9 de novembro de 2013

HOJE TAMBÉM! >>> "O quarto de Bianca" no Art Hostel Rio (Catete)



É a última apresentação no Art Hostel Rio. Se não foi ainda, vai ver!


"O quarto de Bianca"
Uma realização da Interferência Teatral 
Escrito e dirigido por Rafael Cal
Com Renata Egger

No Art Hostel Rio - Rua Silveira Martins, 135 - Catete.
8 e 9 de novembro (sexta e sábado), à21hs.
R$ 20 (inteira)
Dúvidas e informações: Clique aqui pra perguntar ao Fabricio Moser ou à Jéssica Pereira.


Convida todo mundo! Convida os amigos; os parentes; os colegas do trabalho, da escola, da universidade, do teatro, da fila das lojas Americanas, da fila do banco; da rua, de rua, na rua; os conhecidos e os desconhecidos. Venham todos!



Sobre o espetáculo

Bianca é uma pessoa comum, dessas que se encontram por aí. Tem quase trinta anos, uma mala e sapatos sem salto. Gosta de chocolate, bala de leite e rivotril. De vez em quando, curte água mineral com gás, creme antienvelhecimento e só toma banho a cada três dias. Estudou direito, filosofia, história e biologia marinha. Largou todas. Largou tudo. Pensa quase todos os dias nas coisas que fez e, mais ainda, nas que não fez.

Bianca é a filha mais velha que volta à casa onde cresceu em “O quarto de Bianca”, novo espetáculo da Interferência Teatral. Observando o cenário de sua infância, Bianca reconta e remonta suas histórias, alterando os caminhos e construindo suas próprias novas verdades.

Partindo da ideia da desconstrução, tanto do espaço quanto da família, a companhia discute a fragilidade das relações pessoais e seus desdobramentos. Nesse processo, cabe ainda destacar as possibilidades de construção da memória e a dificuldade de estabelecer limites claros entre ficção e realidade. Tudo o que Bianca diz e faz em seu quarto pode ser uma lembrança ou uma invenção, como a história de qualquer um.



Esperamos todos lá!

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

É HOJE! >>> "O quarto de Bianca" no Art Hostel Rio (Catete)



"O quarto de Bianca"
Uma realização da Interferência Teatral 
Escrito e dirigido por Rafael Cal
Com Renata Egger

No Art Hostel Rio - Rua Silveira Martins, 135 - Catete.
8 e 9 de novembro (sexta e sábado), à21hs.
R$ 20 (inteira)
Dúvidas e informações: Clique aqui pra perguntar ao Fabricio Moser ou à Jéssica Pereira.


Convidem os amigos; os namorados, as namoradas e os casos; os inimigos; os parentes; os colegas do trabalho, da escola, da universidade, do teatro, da pelada de fim de semana e da fila das lojas Americanas; as pessoas da rua, de rua, na rua; os conhecidos e os desconhecidos. Venham todos!



Sobre o espetáculo

Bianca é uma pessoa comum, dessas que se encontram por aí. Tem quase trinta anos, uma mala e sapatos sem salto. Gosta de chocolate, bala de leite e rivotril. De vez em quando, curte água mineral com gás, creme antienvelhecimento e só toma banho a cada três dias. Estudou direito, filosofia, história e biologia marinha. Largou todas. Largou tudo. Pensa quase todos os dias nas coisas que fez e, mais ainda, nas que não fez.

Bianca é a filha mais velha que volta à casa onde cresceu em “O quarto de Bianca”, novo espetáculo da Interferência Teatral. Observando o cenário de sua infância, Bianca reconta e remonta suas histórias, alterando os caminhos e construindo suas próprias novas verdades.

Escrito e dirigido por Rafael Cal e com a atuação de Renata Egger, a comédia dramática “O quarto de Bianca” dá sequência à investigação iniciada com o espetáculo “As pessoas felizes não têm histórias pra contar”, de 2005. Desde sua formação, a Interferência tem trabalhado com temas caros ao universo contemporâneo, investindo em dramaturgia própria e na pesquisa cênica permanente há oito anos. 

Partindo da ideia da desconstrução, tanto do espaço quanto da família, a companhia discute a fragilidade das relações pessoais e seus desdobramentos. Nesse processo, cabe ainda destacar as possibilidades de construção da memória e a dificuldade de estabelecer limites claros entre ficção e realidade. Tudo o que Bianca diz e faz em seu quarto pode ser uma lembrança ou uma invenção, como a história de qualquer um.

“O quarto de Bianca” fez uma estreia para convidados no Centro Cultural Mundo Mundano, em São Paulo, em janeiro deste ano. No último mês de julho, participou da mostra competitiva do 35º Prêmio Paschoalino e recebeu sete prêmios (Espetáculo, Espetáculo segundo o Júri do Movimento, Direção, Atriz, Texto Original, Figurino e Maquiagem). Além disso, recebeu o prêmio de melhor Dramaturgia no 10º Festival Nacional de Duque de Caxias e vai participar da mostra competitiva do FIT 2013, em novembro, na Bahia.


Esperamos todos lá!

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

HOJE TEM MAIS >>> "O quarto de Bianca" no Teatro Ziembinski (Tijuca)




O quarto de Bianca
Realização da Interferência Teatral.
Escrito e dirigido por Rafael Cal.
Com Renata Egger.


Serviço

Teatro Ziembinski (Na Tijuca, em frente ao metrô São Francisco Xavier)
6, 7, 13 e 14 (quartas e quintas)
Às 20hs
R$ 10

ÚLTIMA CHAMADA: Blog do Jango



"Apesar da concorrência desleal com os concursos de Miss Bumbum e a reta final do Brasileirão, penso que a exumação significa uma chance de voltar à mídia. Tinha uma carreira promissora nos anos 1960, mas fiz escolhas erradas. Em primeiro lugar, em 1961, quando Jânio renunciou, deveria ter fingido que não era comigo e ficado comendo uns yakissobas com o Mao na China. De repente, teria criado por lá uma estatal chinesa da construção civil, a Reformas de Base S.A. Enterraríamos a concorrência e estaríamos em tudo quanto é loja de piso do mundo hoje em dia."


Texto meu e do Vitor Knijnik. A versão integral tá no Blogs do Além.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Blog do Jango



Sobre mim

Uma espécie de Vasco da Gama da política eleitoral brasileira. Tive uma história linda, de vitórias, de defesa da classe trabalhadora e de luta pela liberdade. Vice por duas vezes consecutivas, acabei rebaixado por um golpe civil-militar em 1964 e nunca mais voltei a ser o mesmo.

--------------------------


O texto é meu e do Vitor Knijnik para o Blogs do Além. Tá na edição impressa da Carta Capital e na página do Blog do Jango.

sábado, 2 de novembro de 2013

Blogs do Além: Jango




"Achei que as notícias sobre a exumação do meu cadáver deixariam a nação de joelhos, paralisada, à espera dos próximos acontecimentos. Não se trata de imodéstia. As circunstâncias da minha morte e tudo que ela envolve são mais interessantes do que a maioria das novelas e seriados do momento. Imaginei que pelo menos os fãs de House of Cards e Walking Dead demonstrariam algum interesse. Se alguma revelação vier a público no mesmo dia em que, por exemplo, um Pato qualquer perca um pênalti, creio que a repercussão não passará de alguns retuítes. Eu terei sido submetido a cócegas com luvas de látex por nada."
Texto meu e do Vitor Knijnik para o Blogs do Além. Disponível em: http://blogsdoalem.com.br/Jango/.