quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Amanhã tem "O quarto de Bianca" no Mundo Mundano





"O quarto de Bianca" (Interferência Companhia Teatral)

de Rafael Cal
com Renata Egger

no Mundo Mundano (Rua Mourato Coelho, 25 - Pinheiros - São Paulo)
dia 17/01, quinta-feira
às 20 horas
informações: contato@mundomundano.com.br ou 2359-7444

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

TEATRO: "O quarto de Bianca" no Mundo Mundano - 17/01



"Sabe qual o gosto da minha infância? Novalgina. Novalgina em gotas. É, quando eu era criança a gente não ouvia falar de genérico nem de similar. A gente não chamava Novalgina de dipirona. Era Novalgina mesmo. Bons tempos. E Novalgina em gotas era um clássico dos anos 80. Como Atari, rock brasileiro e mudança de plano econômico." (O quarto de Bianca, de Rafael Cal.)



"O quarto de Bianca" (Interferência Companhia Teatral)
de Rafael Cal
com Renata Egger

(Rua Mourato Coelho, 25 - Pinheiros)
dia 17/01, quinta-feira
às 20 horas
contato@mundomundano.com.br ou 2359-7444

"A garota da mesa em frente" no Manufatura

"Ele, sentado, olhou ao lado do jornal que lia e pôde ver os pés dela sob a mesa. Desviou os olhos. Não deveria usar sandálias. Eram bonitas. Mas não deveria.
Ao desviar o olhar, pouso seus olhos sobre um casal, sentado na mais longe da porta do café. Contemplou o amor dos dois por alguns segundos. Depois, teve vontade de vomitar. Eram feios. Feios demais. E entrelaçados nas carícias românticas ficavam ainda mais feios. Desviou o olhar de novo."


Começa mais um ano de postagens no Manufatura. E o primeiro texto do ano é "A garota da mesa em frente".

Vai ler!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Na próxima quinta-feira (17), é dia de ir assistir "O quarto de Bianca"



"Enjoa, também. Doce. Muito doce. Açúcar me enjoa. Um pouco. Menos chocolate. Chocolate, não. Aí, tem que tomar um copo de coca-cola. Tenho sempre. Bom pra enjoo. Pra mim, né? Enjoo fácil. Mas não tô receitando, não. Não sou médica. Estudei muita coisa, direito, filosofia, história e biologia marinha. Mas não estudei medicina, não. Não gostava de operar minhas bonecas não. Até precisei operar algumas, né? Mas não gostava. Gostava de dar aula pra elas, de debater, de mergulhar com os golfinhos no oceano da colcha azul e de fazer os divórcios." (O quarto de Bianca, de Rafael Cal)

"O quarto de Bianca" (Interferência Companhia Teatral)
de Rafael Cal
com Renata Egger

no Mundo Mundano (Rua Mourato Coelho, 25 - Pinheiros - São Paulo)
dia 17/01, quinta-feira
às 20 horas
informações: contato@mundomundano.com.br ou 2359-7444


domingo, 13 de janeiro de 2013

"O quarto de Bianca": 17/01 (quinta-feira) no Mundo Mundano



"Assopra. Come devagar. Assopra antes de comer o bolo. Devagar, tá quente. Come a comida, depois o doce. Sabia que tem que mastigar sessenta e duas vezes antes de engolir? Depois você come a sobremesa. Devagar. A boca é a primeira parte do sistema digestivo. Digestório. Digestivo, digestório, sei lá. A gente começa a digerir as coisas na boca. A gente começa pela boca. A gente digere. Digere." (O quarto de Bianca, de Rafael Cal)



Serviço

de Rafael Cal
com Renata Egger
realizado pela Interferência Companhia Teatral

no Mundo Mundano (Rua Mourato Coelho, 25 - Pinheiros - São Paulo)
dia 17/01, quinta-feira
às 20 horas
informações: contato@mundomundano.com.br ou 2359-7444


"Noite de lua cheia" no Bar do Escritor

Primeira publicação do ano no Bar do Escritor!

Vai lá ler!

sábado, 12 de janeiro de 2013

"O quarto de Bianca" - 17 de janeiro no Mundo Mundano



É dia 17: "O quarto de Bianca"





"Pegava e levava pro quarto, pra comer escondido. Gosto de doce, de açúcar e de comer escondido, sem precisar dividir. Criança. Bala de leite. Aniversário de criança, doce, bala de leite, bolo. Ficava tudo meio entocado aqui. Pra não dividir. Ia comendo. Às vezes, esquecia. Mas tinha formiga, sempre tem. Aí, lembrava." (O quarto de Bianca, de Rafael Cal)

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

"O quarto de Bianca" no Mundo Mundano - 17/01


"O quarto de Bianca" no Mundo Mundano - 17/01 às 20hs





"Adoro estas garrafas. Tem uma cor pra água sem gás e outra pra com gás. Melhor do que quando era pequena e minha tia Soraia ficava sacudindo a garrafa de vidro. Não sei se pra ver se a água era mesmo com gás ou só pra ver as bolhas. Sempre imaginava a garrafa voando e acertando alguém sentado no entorno.

Imagina, restaurante lotado, alguém resolve ver se água é mesmo com gás, anos 80, garrafa de vidro. A pessoa sacode a garrafa, mas a mão não tá muito firme, meio engordurada, quem sabe por causa da calabresa frita do couvert, a garrafa meio suada, combinação fatal; primeira sacudida, escorrega um pouco, um aviso, para, mas ninguém ouve o aviso; segunda sacudida, a garrafa perde sua condição de reservatório portátil de líquido e se transforma numa arma, tal qual uma granada pós-moderna, e acerta a cabeça da criança na mesa próxima.

Você pode achar bem feito, a criança devia merecer, devia estar enchendo o saco de alguém ou correndo pelo restaurante ou ainda que estivesse sentada, quietinha, comendo sua batata frita em paz, devia ter feito alguma merda antes, mais cedo, talvez em casa, porque criança nenhuma é quieta, e certamente ela merecia aquela garrafada na cabeça. Mas imagina o climão no restaurante. Pedidos de desculpas, um monte de gente falando ao mesmo tempo, falando alto, alguma tentativa de justificar aquilo, apela pra qualquer coisa, diz que nem foi tão feio assim, aquela testa aberta ali na sua frente, a criança num estado de semiconsciência.

Imagina o clima pra continuar a refeição."



Serviço
de Rafael Cal
com Renata Egger
realizado pela Interferência Companhia Teatral

no Mundo Mundano (Rua Mourato Coelho, 25 - Pinheiros - São Paulo)
dia 17/01, quinta-feira
às 20 horas
informações: contato@mundomundano.com.br ou 2359-7444